a mesa de luz

Sunday, August 28, 2016

nem de propósito

atrás de mim na espreguiçadeira do parque aquático, uma senhora de alguma idade com burkini. uma família grande com muitas crianças. talvez de origem paquistanesa mas isso sou eu a especular. falam inglês. não me admirava que fossem turistas ingleses.

fish and fish (balıklar), meshes of a beach vacation








13 timeless movies for a poetic summer









 the man with a movie camera




road pics



céus nocturnos com o skyview








sea

 home
 berlengas
 um valente, provavelmente da Ericeira

ria (4 ou 5), tudo à pesca






 as dunas de são jacinto, esse tesouro nacional

 praia da barra
 companhia
traveling in light

excêntrico


esta é uma nota irónica

ler o Expresso Economia é toda uma experiência (que geralmente não faço. o espaço está inquinado de comentadores, como se não bastasse a inquinação das TVs). Ferreira Leite não quer que se protejam as zonas históricas porque o dinheirinho que entra é mais importante: está tudo dito. 'Banca sobre crédito ao estado e corta a empresas': diga lá isso outra vez?? que boa ideia! 'Metade dos gestores dos fundos do Portugal 2020' foi substituída: um país alegre, sem dúvida, na dança das cadeiras. o ceo da heineken, um francês, tem o desplante de ser fotografado, ou bem, o expresso tem o desplante de fotografar o ceo da heineken/central de cervejas em frente aos azulejos da cervejaria Trindade. bem me tinha perguntado o que raio se passou com este espaço, totalmente descaracterizado, com o tecto cor-de-rosa fosco e anúncios de bife Angus em cima das mesas. que tristeza (isto leva o pensamento de volta à Ferreira Leite). outro desplante do expresso: a foto do antes e depois da sala do big boss do ex-BES. onde estava o legítimo está agora um sorridente Ramalho ("O actual presidente da Infraestruturas de Portugal, é de raiz banqueiro." - esta frase num português de gema estava no Económico. se isto é economia, dêem-me um pontapé na canela porque eu só vejo política ou politiquice à portuguesa. mas a economia estava lá, infelizmente: a autoeuropa vai enviar 250 trabalhadores para a Alemanha e vai funcionar num só turno. notícias redentoras: as startups portuguesas (orgulho): codacy, mater dynamics, prodsmart, followprice.

acontecimento

e talvez das melhores coisas que o Expresso decidiu fazer, pelo menos que me lembre, foi a publicação de uma parte mesmo que pequena da obra de Camilo. uma redescoberta total, escrita desabrida, opulência e de abundância, cantigas de escárnio e de muito mal dizer, pouca meiguice, luxúria bastante. por um lado um orgulho: somos filhos desta gente; por outro uma tristeza: que país miserável fomos tantas vezes: interesseiros, intriguistas, fingidores e carapaus de corrida.

muito fora de moda, o Camilo, mas por vezes hiper-moderno. a descrição das mezinhas em Eusébio Macário lembra-me as listas de Perec. que fascinante personalidade mas, mais ainda, que retratos desse Minho de onde também descendo.

as Novelas do Minho para ler, aqui, na Biblioteca Nacional. (aliás, de Camilo há mais dezasseis, mas não o Eusébio Macário, a novela em que tenta desancar o Eça inutilmente).


iced tea

Saturday, August 27, 2016

 
Share